sábado, 17 de maio de 2008

 

Não mais que um filme de amor

Primeira obra em inglês de Wong Kar-Wai, Um Beijo Roubado, com Norah Jones e Jude Law, não faz jus à fama do diretor e decepciona

Por Rodrigo Alves

Dizem que um filme que abre Cannes nunca é pouca coisa. Mas Um Beijo Roubado (foto), que abriu o festival francês no ano passado é quase nada. O elogiadíssimo diretor chinês Wong Kar-Wai não acertou a mão em seu primeiro trabalho em inglês, e não faz jus a seu filme mais famoso, Amor à Flor da Pele.

Em Um Beijo Roubado, em cartaz em todo o País, Jeremy (Jude Law) é dono de um café em Nova York que coleciona chaves abandonadas pelos clientes. Elizabeth (a cantora Norah Jones, em sua estréia como atriz, já como protagonista) é dona de uma delas. Ao contrário dos outros, as suas são deixadas lá de propósito, depois que a moça descobre que o namorado a traiu.

Durante algumas noites ela começa a freqüentar o café e a encantar seu dono. Sem dizer adeus, ela parte para uma viagem pelo país. No caminho, conhece pessoas com histórias diferentes como um policial (David Strathairn) apaixonado pela ex-mulher (Rachel Weisz) e uma jovem (Natalie Portman) jogadora de pôquer. Durante o tempo que passa viajando, ela escreve regularmente para Jeremy, que, apaixonado, tenta localizá-la.

Erros - Em busca de uma linguagem mais poética, Wong Kar-Wai lança mão de recursos como a câmera lenta e planos muito fechados. Mas sua narração e seus personagens não ganham nada a mais com isso. A atuação rasa de Norah Jones, que como atriz dramática é uma excepcional cantora, também atrapalha. A impressão inicial de que se está diante de uma obra interessante, especialmente pelas presenças de Rachel Weisz, Natalie Portman, David Strathairn – que, se é possível, justificam o ingresso – se desfaz logo de cara.

Nem a bela estética da fotografia de Darius Khondji, granulada e à luz natural (o clima é bem noir) salva. Tentando dar pluralidade a sua obra, Kar-Wai não se aprofunda nos personagens e acaba concebendo três filmes em um só. As três histórias, que, mal emendadas, compõem a trama, renderiam mais se melhor exploradas – de repente até mesmo em filmes separados. A narrativa entrecortada deixa a sensação de um filme mal editado e displicente com a sensibilidade do espectador.

Se há algo que importa neste filme é a excelente trilha sonora que traz Cassandra Wilson, Ry Cooder e Cat Power (também no elenco), além da própria Norah Jones. Mas Um beijo Roubado poderia ser algo mais de uma coletânea de belos clipes. Não passa de um singelo (e estranho) filme de amor.

Serviço
Filme
: Um Beijo Roubado (My Blueberry Nights) – Hong Kong/ China/ França, 2007. 97 min. Drama.
Direção: Wong Kar-Wai
Elenco: Norah Jones, Jude Law, Rachel Weisz, David Strathairn, Natalie Portman
Em cartaz em todo o País
Site: http://www.umbeijoroubado.com.br/



Rodrigo Alves é jornalista e especialista em Jornalismo Literário

Fotos: Divulgação

Um comentário:

Rainer Gonçalves Sousa disse...

A ordem das coisas ficaram invertidas. Um bom filme precisa, primeiro, de uma boa história e depois de bons atores !