domingo, 9 de dezembro de 2007

 

No embalo de Paris

French Café traz canções de artistas como Serge Gainsbourg e Brigitte Bardot. Uma verdadeira viagem à França, sem sair de casa

Por Erika Lettry

Dizem que os cafés culturais são a marca de Paris. Tanto é verdade que a história da música popular francesa está intimamente ligada a estes lugares, que até hoje revelam e consagram talentos das mais variadas vertentes.

Pois entrar no clima de lá, mesmo sem colocar os pés na Cidade Luz, é mais fácil do que se pensa. Uma seleção com 13 canções de artistas novos e da velha guarda francesa pode ser encontrada no CD French Café, do selo norte-americano Putumayo.

Quem tem uma leve quedinha pela sonoridade da língua francesa e por aquela sensação de “boa vida” que as músicas da França trazem, não vai conseguir resistir quando, por acaso, cruzar com o disco em alguma loja. Pois foi exatamente o que aconteceu comigo. Em meio a um arsenal de opções expostas nas prateleiras de música, dei de cara com French Café. E quando liguei o aparelho para ouvir, só por curiosidade, acabei não resistindo à melodia Marilou Sous la Neige, de Serge Gainsbourg. Não por acaso o músico era um ícone na França (morreu em 1991), e influenciou diversas gerações no país.

O álbum traz ainda as vozes de Paris Combo, Brigitte Bardot (que, surpreendentemente, tem uma voz linda) e Mathieu Boogaerts. Impossível esquecer Barbara cantando Si la Photo est Bonne, com aquela toada suave de cantoras como Carla Bruni, que virou mania nas escolas de música francesa, ou Enzo Enzo interpretando Juste Quelqu´um de Bien. Je M´Suis Fait Tout Petit, na voz de Georges Brassens, causa ímpetos de sair dançando por aí.

Muitas canções do CD refletem influências do jazz, eletrônica e ritmos ciganos e africanos. Afinal, a França é conhecida pela abertura a sons “exóticos”. Nesta seleção em especial é interessante notar como, apesar da junção de tantos elementos externos e inovações rítmicas, é possível ainda notar a essência dos cafés franceses - mesmo sem nunca ter ido a algum. Mistérios da globalização.

Putumayo – O selo Putumayo investe em world music há mais de dez anos. Fundado pelo sociólogo americano Dan Storper, une em coletâneas músicas de diversos lugares do mundo. Quer conhecer o som da Costa do Marfim, Vietnã ou República Dominicana? Não precisa nem sair de casa. É só comprar os discos do selo.

Além das canções, que por si só valem o investimento caro (um CD não sai por menos de R$ 30), o visual também é marcante. Todas as compilações são ilustradas pela artista inglesa Nicola Heindl, que busca reproduzir os símbolos culturais dos países em questão.

Os discos, que antes precisavam ser importados, agora são distribuídos por aqui.

Serviço
CD: French Café
Artista: Vários
Gravadora: Putumayo World Music
Preço médio: R$ 34
Disponibilidade: média

Erika Lettry é jornalista e especialista em Jornalismo Cultural

4 comentários:

Helen Fernanda disse...

Os campos de TÍTULO e MARCADORES do blogger não são enfeites. Facilitam muito para quem lê o blog por meio de feed e tem importância de 90% na busca do Google. Não deixem de usar. Vale lembrar que título não é assunto, é título mesmo. Marcador ou tag é que é o assunto.

Rodrigo disse...

Os títulos verdadeiros do texto não informam tanto quanto as retrancas usadas. Com a liberdade dadas aos autores, um texto sobre o Senhor dos Anéis, por exemplo, podem ter o título "Saga sem fim", isto é, no momento da pesquisa não será mais eficiente do que a palavra "cinema" (que diga-se também não ajuda). Visualmente, porém, o esquema retranca-título fica muito melhor, por isso não vejo problema e sim solução na opção já estabelecida. Quanto ao uso dos marcadores realmente é uma boa idéia. Abraços, Helen.

Helen Fernanda disse...

Vocês estão fazendo uso errado das ferramentas certas.

Quando você coloca tags/marcadores, o Blogger gera uma página com todos os posts que usam aquele mesmo marcador. Exemplos do meu blog: http://www.helenfernanda.com/search/label/opiniao; http://www.helenfernanda.com/search/label/minha_vida; http://www.helenfernanda.com/search/label/familia.

Mas tudo bem, isso é com vocês, a minha parte (avisar) eu fiz.

Se usarem cada ferramenta corretamente vão ajudar o Google e o Google vai ajudar vocês. Não esperava convencer vocês tão fácil, jornalista é teimoso mesmo.

Rodrigo disse...

É verdade, jornalista é teimoso mesmo (lembre-se que é uma, rs). Já decidimos usar os marcadores, só não colocamos em prática ainda.